Últimas notícias de Laranjeiras do Sul

Laranjeiras - Faleceu nesta sexta dia 15 o laranjeirense Dr. E professor Rui Faé


Publicado por: - 16/03/2013

Faleceu, vítima de complicações pulmonares, nesta quinta dia 15, com 75 anos de idade, no Hospital Santa Catarina, em Blumenau – SC, o Doutor e professor RUY LUIZ FAÉ, conhecido, carinhosamente, como TIO NÉCA.

 

Nascido em José Bonifácio, hoje Erechim, em 21 de maio de 1937, onde completou seus estudos de primeiro grau.

 

Filho do Capitão Ártico Antonio Faé e de Rosa Moro Faé, teve ainda 6 irmãos e uma irmã, a única ainda viva.

 

 

Chegou em Laranjeiras do Sul, nos idos do ano de 1946, junto com os seus pais e alguns irmãos. Em 1952 foi enviado pelos seus pais para estudar em Ponta Grossa, no Colégio Marista e posteriormente formou-se em Odontologia, no ano de 1.961, na Universidade Estadual de Ponta Grossa.

 

Neste período já demonstrava grande habilidade e amor pelo esporte, notadamente futebol de campo, onde atuou, profissionalmente pelo Guarany Esporte Clube daquela cidade, com passagens por outros clubes profissionais. Porém, naquele tempo, a carreira de futebol não trazia muita estabilidade e resolveu seguir a profissão de Odontólogo, retornando, no ano de 1.962 para a sua amada Laranjeiras do Sul, terra que adotou como sua Pátria, tendo elevado senso de responsabilidade e amor para com a mesma.

 

Já se destacava no meio acadêmico, pela sua liderança nata e pelo poder de aglutinação, fazendo muitos amigos, organizando e promovendo atividades no diretório acadêmico da Universidade. Pessoa de fino trato, com educação exemplar, calmo, ponderado, dotado de grande paciência que só os justos possuem e leal companheiro, não foi difícil entrosar-se, rapidamente, na sociedade laranjeirense do sul.

 

Com sua formação universitária desde logo foi procurado pelas lideranças locais para participar de atividades sociais e políticas da nossa cidade e notabilizou-se como grande líder comunitário, tendo entre outros notáveis feitos, junto com expressivas lideranças da época, a criação do Grêmio Estudantil Gabriela Mistral, a fundação da Associação Comercial e Industrial de Laranjeiras do Sul, o Sindicato Rural e Patronal de Laranjeiras do Sul, o Ypiranga Futebol Clube criado pelos seus irmãos Chiassi Faé e Bacilides André Faé, o Clube Pinheiros, o União Operário Esportivo e Recreativo já em 1.975, o Grupo de Amigos do Futebol denominado Só de Sábado e um sem número de outras Associações Sociais e esportivas.

 

Participou ativamente das atividades culturais e educacionais da cidade, participando ativamente dos programas radiofônicos da Rádio Educadora, no seu início, foi redator chefe do Jornal O Independente, onde além da revisão redatorial matinha uma coluna. Tudo isto feito de forma graciosa, sem remuneração financeira nenhuma.

 

Foi professor Pioneiro da cidade, exercendo a cátedra de Biologia, Ciências e Educação Física, inicialmente na Escola Normal Regional Leôncio Correia, exercendo também a Direção da mesma por certo período. Posteriormente ajudou a criar o Colégio Estadual Floriano Peixoto, onde foi professor e diretor por várias décadas, formando muitos dos profissionais que hoje trabalham pelo nosso Brasil afora.

 

Amante do esporte introduziu em nossa cidade as modalidades de basquetebol, voleibol e futebol de salão, sendo sempre destaque como atleta nestas modalidades. Criou o Mistral, equipe que difundiu estes esportes na região toda, com a organização de Jogos Escolares Paranaenses aqui em Laranjeiras do Sul, reforçando a amizade com Guaraniaçú, Ibema, Catanduvas, Ponta Grossa, Imbituva, Prudentópolis, Guarapuava, Curitiba e outros municípios que, prazerosamente vinham à Laranjeiras do Sul, participar desta festa do esporte. Como na época não havia quadras de esportes na cidade, construiu, com a ajuda dos seus amigos e com suas próprias mãos, a primeira quadra de esportes da história de Laranjeiras do Sul, de terra batida, localizada na Escola Normal Regional Leôncio Correia, ali, atrás da Igreja Matriz. Também ajudou a construir a primeira quadra de esportes com piso de concreto, no Clube Pinheiros, fato que alavancou o crescimento do esporte em nossa cidade. Introduziu em todas as escolas e em nossa cidade, a pra tica do ATLETISMO, realizando competições de caráter estadual nesta modalidade. Podemos dizer, sem sombra de dúvidas, que tudo que existe no esporte de Laranjeiras do Sul, foi criado e introduzido pelo Tio Néca. Inicialmente atleta do Ypiranga Futebol Clube e depois do Operário Futebol Clube, agremiação que amava de paixão, notabilizou-se como um dos melhores jogadores da história do futebol de nosso município. Dono de uma elegância ímpar dentro de campo, muito habilidoso, jogava como meio atacante, utilizando e bem, as duas pernas, armando muito bem e fazendo muitos gols. Seu futebol limo, leal, de classe, de cabeça erguida, de toques refinados, era um misto de Zico com Ademir da Guia. Realmente encantava os olhos. Só quem viu, não esquece.

 

Ainda, na área cultural, foi o promotor do primeiro concurso para escolha da MISS LARANJEIRAS, evento este marcado como um dos mais importantes da cidade, quando a vida social era bastante ativa, na época dos glamourosos bailes, famosos em toda a região.

 

Casou-se com a professora Geni de Lourdes Bordin Faé com quem teve duas filhas, a Doutora Cientista Sênior Kellen Cristhine Faé, hoje trabalhando na Holanda, depois de passar por vários países da Europa, África e Ásia e a Dra. Ellen Christie Faé, odontóloga em Guarapuava/PR.

 

Trabalhou como dentista em nossa cidade, inicialmente por um período reduzido, logo no início da sua profissão, pois dotado de um coração enorme, muito bondoso, não cobrava o valor real de seus serviços, muitas vezes até auxiliando os seus pacientes na compra de próteses, medicamentos etc. Tocado em seu coração pela paixão pela educação, dedicou-se integralmente à mesma e só retornou ao seu trabalho como dentista anos depois, já com o auxílio de sua esposa que tratava da “parte” financeira, aposentando-se no ano de 1.999. Nesta nova etapa profissional, era muito querido pelos seus clientes, especialmente as crianças as quais dedicava uma atenção especial e uma paciência acima do normal. A “ida” ao dentista, terror para todos, era um ato de prazer, sendo que as crianças pediam aos pais para ir ver o “Tio Neca”.  E lá ele ficava conversando, conversando e fazendo o que precisava, deixando os “dentinhos” bons novamente.

 

Porém, nunca se negou ao chamado de sua cidade e convidado, no ano de 1.968, para ser candidato a vereador, mesmo não se sentindo bem no  meio político partidário, (havia somente dois partidos – época da chamada ditadura), achava que na política brasileira as pessoas se vendem pelos seus próprios direitos, participou das eleições da época sendo o segundo mais votado, com 828 (oitocentos e vinte e oito) votos, naquela época. Logo no início notou que não tinha veia política e devido a sua franqueza e retidão de caráter, algumas coisas próprias da política partidária o incomodavam. Estava em um partido, mas muito amigo do futuro Governador José Richa, já nutria desejos da criação de outro diferente, o que aconteceu posteriormente, com a abertura política que se configurou. Diante disto, deixou a Câmara de Vereadores e atuou como Secretário de Educação do município, período este em que se construiu o maior número de salas de aula de nossa história, somente suplantado agora nos últimos tempos, devido ao próprio crescimento populacional e administração daquela ocasião teve na Educação o seu maior expoente. Nunca mais quis participar da política partidária, procurando ajudar a todos, ao seu modo.

 

Após cumprida a sua missão profissional foi em busca de seu sonho de garoto que era morar no litoral, junto ao mar. Viveu em Balneário Camboriú por 14 anos, feliz e realizado. Ultimamente, já acometido de problemas renais, começou a sentir falta dos amigos de Laranjeiras e dizia: Como seria bom morar no litoral, porém podendo trazer todos os meus amigos para junto de mim. Já nos últimos dias, concordou que após o seu restabelecimento, voltaria para junto dos amigos queridos, que nunca esqueceu, aqui na sua querida cidade. Contudo, quis Deus que ele continuasse nosso amigo em outra dimensão, quiçá em outra vida. Fica, porém, a certeza de que jamais será esquecido por eles.

 

Seu modo de vida simples, amigo de todas as horas, possuidor de uma moral inatacável, de uma honestidade admirável, não poucas vezes, corrigiu a rota e orientou o caminho da nossa juventude, formando o caráter de homens de bem de nossa comunidade, não só com palavras, mas com exemplos vivos de sua conduta. Se existe isto, ele foi a pessoa que nunca, mas nunca mesmo, fez ou teve um inimigo em sua vida. Também é o único corintiano (amava demasiadamente o Corinthians) que os demais torcedores aceitavam, pois era sempre respeitoso com os demais torcedores.

 

Todas as homenagens póstumas que se possam prestar pela sua conduta enquanto cidadão, pelos serviços prestados em prol do desenvolvimento da educação e esporte em nosso município, mostrando sempre, dedicação ímpar, competência comprovada, humildade, paciência, seriedade, companheirismo, lealdade, respeito e acima de tudo, AMOR ao próximo e à profissão, serão poucas e insuficientes em vista da forma como este gaúcho laranjeirense brasileiro viveu!

 

Com muitas saudades, Tio Néca, deixamos não nosso adeus, mas um até breve, companheiro.

 

Finalizamos afirmando que “SE HOJE A TERRA PERDEU UM GRANDE HOMEM, COM CERTEZA O CÉU GANHOU MAIS UM BOM ANJO!” ···.

 

 

 

Por Leoni Luiz Meletti

 

Sobrinho e filho.

 

 

 

 

 

Fonte - RCA

 

 

 

2746
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Laranjeiras - Faleceu nesta sexta dia 15 o laranjeirense Dr. E professor Rui Faé0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Laranjeiras do Sul

Veja também:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.